Televendas
24 2291-9190 | 24 2291-9171

Viver bem com alimentos orgânicos

Por Nara Corona

cheiro-verde-organico-sitio-do-moinho.jpg

Sempre me perguntei por que a salsa e a cebolinha eram vendidas juntas, em dupla, como um verdadeiro casal onde um complementa o outro. E foi pensando nisso que me veio a ideia de que eles deveriam mesmo ser complementares pois  afinal a natureza não dá ponto sem nó, não é mesmo? Bom, o termo cheiro verde veio da mistura das ervas de cheiro, perfeitas para o bom tempero,  realçam sabor e colorem os pratos.

Os temperos naturais verdes ativam as funções orgânicas, colocando a nossa máquina para trabalhar da forma mais correta. Esse amarradinho é super versátil e vai bem com todos os pratos nacionais.

A cebolinha veio do Oriente enquanto seu par veio da Europa, tem folhas compridas e finas e a outra folhas pequenas e recortadas, reforçando a antiga tese de que os opostos se atraem.

Rica em substâncias pró-vitamina A, da família dos carotenoides, como a alfa criptoxantina e o alfa caroteno, a Salsinha traz também na sua composição vitaminas do complexo B, mas que em sua maioria se decompõem no calor. Mais que isso, ela é rica em potássio, zinco e vitamina C (100g dela contém praticamente a mesma quantidade de vitamina C que em 100g de laranja - mas 100g de salsinha é bastante coisa!).

 Já a Cebolinha apresentou, segundo estudo realizado com hortaliças brasileiras, uma efetiva capacidade redutora de radicais livres, mais conhecida como ação antioxidante. As quantidades de vitamina também aparecem em destaque, fazendo frente a algumas frutas cítricas.

Em algumas regiões do Brasil, a salsinha é substituída pelo coentro. Então se quiser o tradicional cheiro verde, olhe antes se está composto pela salsa e a cebolinha.

 

Bibliografia:

Confirmação da identidade da -criptoxantina e incidência de carotenóides minoritários provitamínicos a em verduras folhosas verdes
ADRIANA Z. MERCADANTE, DÉLIA RODRIGUEZ-AMAYA
Ciênc. Tecnol. Aliment. v.21 n.2 Campinas maio/ago. 2001
Free radical scavenging activity of ethanolic extracts from herbs and spices commercialized in Brazil.MARIUTTI, LILIAN REGINA BARROS; BARRETO, GISELA PIZARRO DE MATTOS; BRAGAGNOLO, NEURA E  MERCADANTE, ADRIANA ZERLOTTI.Brazilian Archives of Biology and Technology, 2008, vol.51, n.6, pp. 1225-1232.

Tabela brasileira de composição de alimentos (TACO)
NEPA-UNICAMP.- Versão III. – 4ª ed.
NEPA-UNICAMP, Campinas, SP: 33-35, 2011.

Recomendamos para você:

Quer saber mais sobre o Sítio?

Receba nossas novidades

Nome:

E-mail: